Artigo: Manejo da adubação na cultura do feijão em sistema de produção orgânico

O feijão é um dos alimentos básicos do povo brasileiro e de grande parte da América Latina. Apre-senta fundamental importância, devido ao fato de ser fonte acessível de proteínas, com elevado valor ener-gético. A sua comercialização é instável e os riscos climáticos atrelados à cultura difcultam uma maior adesão de agricultores, em todo o País (Conab 2013).

Uma das alternativas para aumentar a estabili-dade da sua comercialização é a agregação de valor ao grão, que pode ser alcançada com a utilização do ABSTRACTRESUMOsistema de produção orgânico. A procura por feijão produzido organicamente tem aumentado, mesmo com preços de venda do produto cerca de 30-40 % superiores ao do feijão cultivado de forma conven-cional (Santos 2011).

Darolt (2000) verifcou que os principais en-traves para a produção orgânica estão relacionados à Falta de crédito específco para produtores, difcul-dades para a comercialização da produção e falta de experiência e informação técnica.

Os principais limitantes à sustentabilidade no cultivo do feijoeiro comum, em sistemas orgânicos e convencionais, incluem o manejo do solo e do fertilizante, principalmente no que diz respeito à má distribuição de nutrientes no perfl do solo, bem como ao desequilíbrio entre os mesmos (Aidar & Kluthcouski 2009).

Os fertilizantes orgânicos apresentam com-posição variável conforme sua origem, teor de umidade e processamento, antes de sua aplicação. A mineralização de nutrientes como o nitrogênio (N) e o fósforo (P), no solo, depende, principalmente, da relação carbono/nitrogênio (C/N) do material orgânico. Compostos com relação C/N inferior a 25 e C/P inferior a 200 liberam a maior parte do N e do P no primeiro ano da aplicação. Em geral, produtos de origem animal sofrem um processo de minera-lização mais acelerado do que produtos de origem vegetal, quando submetidos às mesmas condições de temperatura ambiente e umidade no solo.

No sistema orgânico de produção para a fer-tilização dos solos são usados adubos verdes, restos de colheitas, tortas e farinhas de vegetais fermenta-dos, compostos orgânicos bioestabilizados, resídu-os industriais e agroindustriais isentos de agentes químicos ou biológicos com potencial poluente e de contaminação, fosfatos naturais e semisolubilizados, farinhas de ossos, termofosfatos, escórias e rochas minerais moídas, como fonte de cálcio, magnésio, fósforo, potássio e micronutrientes (sempre de baixa solubilidade).

Não há registros de uso de compostos orgâ-nicos elaborados com resíduos de Frigorífco, no solo. Esses adubos são elaborados a partir de capim do rúmen, sangue e couro de bovinos de corte. O processo de fabricação é realizado a céu aberto, com o auxílio de micro-organismos que aceleram a degradação do material orgânico, transformando-o em adubo orgânico.

Alguns estudos têm evidenciado a viabili-dade do uso de fertilizantes orgânicos em sistemas de produção orgânica e aumento de produtividade em feijão caupi (Cavalcante et al. 2009, Melo et al. 2009, Pereira et al. 2013), feijão de vagem (Alves et al. 2000) e feijoeiro comum (Pereira et al. 2011).Experimentos conduzidos por Carvalho & Wanderley (2007), no Distrito Federal, mostraram que o feijão orgânico tem produtividade compará-vel à do feijão cultivado sob sistema convencional.

Padovan et al. (2007) avaliaram doze cultivares, na região de Dourados (MS), mostrando a viabilidade do sistema orgânico de produção de feijão.Uma das fnalidades de um sistema orgânico de produção é a reciclagem de resíduos de origem orgânica, reduzindo, ao mínimo, o emprego de recur-sos não renováveis. A adubação orgânica é a forma mais importante de reconstruir, de maneira física, química e biológica, os solos, principalmente quando apresentam baixo teor de matéria orgânica. Existem várias vantagens no uso de adubos orgânicos, como a melhoria na estrutura do solo, ati-vação microbiológica, aumentos nos teores de matéria orgânica e na resistência das plantas ao ataque de pragas e doenças, retenção de cátions (Ca, Mg e K) e efeito de proteção da umidade do solo.

Assim, a adoção de técnicas de cultivo que possibilitem melhorar o manejo da cultura do feijão, em sistema orgânico, em condições favoráveis ao desenvolvimento das plantas, pode ser de suma importância para o aumento da produtividade e qualidade de grãos.

Fonte: UFG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *